Artes Exposições

O X de Lilian

Em cartaz no Linda Mascarenhas, a artista problematiza para humanizar

*Diogo Braz

Desde cedo, aprendemos a classificar; talvez para organizar o mundo na cabeça, dar menos trabalho ao cérebro diante das coisas. Sem perceber, ficamos bem adestrados a identificar, rotular e separar tudo em categorias, gêneros. Não é de se estranhar que a arte de Lilian Barbosa chame atenção em qualquer galeria: sua produção é difícil de se acomodar em compartimentos mentais. É preciso abrir espaços, expandir os cubículos de pensamentos mais estreitos. Uma coisa é certa: é impossível ficar imune ao seu trabalho, como se pode comprovar na exposição “Opressão ao Gênero Feminino: O X da Questão”, em cartaz no Espaço Cultural Linda Mascarenhas até 23 de junho, pelo Projeto Linda de Música e Artes Visuais.

Blog Aqui Acolá - Proj Linda Edson e Lilian - Foto de Diogo Braz (7)
Foto: Diogo Braz
Blog Aqui Acolá - Proj Linda Edson e Lilian - Foto de Diogo Braz (6)
Foto: Diogo Braz

Nascida em Maceió, Lilian descobriu-se artista ainda criança e abraçou todas as plataformas que lhe surgiram, desenvolvendo por si só o seu repertório artístico, utilizando-se de elementos de design de moda, figurino, escultura, arte sustentável e instalação. Estreou profissionalmente em 2009, quando abriu o próprio ateliê, no bairro do Farol. Por volta desse período, descobriu a performance como uma ferramenta complementar para seu prolífico trabalho. E quando é necessário utilizar um rótulo para se colocar ao público, ela escolhe o mais abrangente e híbrido possível:artista multilinguagem, que trabalha artes integradas e ações performativas.

Lilian é um turbilhão! Dentro de toda peça que ela cria há uma revolução prestes a eclodir, uma denúncia social gritando para ser ouvida. Seu ímpeto artístico e todos os seus trabalhos buscam causar reflexão e debate sobre temas muitas vezes incômodos, que boa parte das pessoas evita tratar. Esse é o seu traço mais marcante, o de ativista. Ela sempre esteve atenta às questões da transexualidade. Conviveu desde cedo com pessoas de todos os gêneros e entendeu a arte como uma via para tratar da injustiça social contra as mulheres e pessoas trans. Cada obra da exposição “Opressão ao Gênero Feminino: O X da Questão”, por exemplo, é inspirada em histórias reais de violência contra mulheres cis e trans. Há, inclusive, uma lápide que exorciza os fantasmas de uma agressão sofrida pela própria artista.

Blog Aqui Acolá - Lilian Barbosa - Foto de Roger Silva (3)
Foto: Roger Silva
Blog Aqui Acolá - Lilian Barbosa - Foto de Roger Silva (2)
Foto: Roger Silva
Lilian Barbosa - Foto de Roger Silva 3
Foto: Roger Silva

Transparente e corajosa, Lilian faz-se instrumento de sua mensagem, literalmente. Utilizando-se da body art e da performance, ela chama atenção em suas intervenções, com duras frases grafadas em estética pós-punk no corpo seminu, encarando o público e recitando estatísticas da violência conta o gênero feminino: é incômodo, confrontador, conscientizador, pois leva cada um sentir a dor dessas pessoas de sua própria maneira, com seus próprios conceitos e preconceitos.

Foi assim na noite de abertura da exposição, em 20 de maio, quando uma jovem da plateia chegou a chorar durante o número e foi agradecer à artista, ao final de tudo, pela coragem. Lilian revelou que é comum haver essa ligação do seu trabalho com o público; principalmente pessoas do gênero feminino chegam a ela para relatar histórias pessoais de violência, ou simplesmente para dizer como foram tocadas por aquelas histórias. Tudo vira matéria-prima para seu processo criativo e ela faz questão de destacar a importância de transformar todas essas experiências em arte, sempre com o objetivo de despertar a consciência das pessoas a respeito da necessidade de uma equiparação de gêneros. “A intenção é problematizar para humanizar pessoas”, explica Lilian.

“Opressão ao Gênero Feminino: O X da Questão” está sendo bem recebida pelo público e comprova a versatilidade de Lilian, que utiliza diversos materiais para criar peças delicadas e repletas de detalhes; e outras mais robustas, sem descuidar do senso estético. Recentemente, a artista vem desenvolvendo um estudo de escultura em ferro, com o mestre José Paulo, que assina com ela uma obra na exposição. Ela tem gosto pelos processos coletivos, por isso, também incluiu fotos dos artistas Lula Nogueira, Gustavo Lima e Roger Silva nesta sua primeira exposição individual: uma forma de mostrar a importância de agregar talentos a serviço da arte.

Blog Aqui Acolá - Proj Linda Edson e Lilian - Foto de Diogo Braz (5)
Foto: Diogo Braz
Blog Aqui Acolá - Proj Linda Edson e Lilian - Foto de Diogo Braz (4)
Foto: Diogo Braz

Além de retirar o véu de um tema tão áspero e abrir espaço para diálogos necessários, outro dos muitos méritos da exposição é que Lilian Barbosa tira nossos cérebros daquela acomodação automatizada, que engessa tudo o que vemos em classes e gêneros. “Infelizmente, nossa sociedade ainda não desenvolveu uma educação voltada para aceitar o que é diferente do padrão. Falta bastante informação”, avalia a artista. A exposição fica em cartaz até o dia 23 de junho, no Espaço Cultural Linda Mascarenhas, com visitação gratuita, das 8 às 14hs: uma boa pedida para os amantes da arte em todos os gêneros.

* Diogo Braz é jornalista e músico. Crítica especial para o Blog Aqui Acolá. Os créditos da imagem de capa também é do jornalista Diogo Braz.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: