Artes Exposições

Uma dose concentrada de arte na exposição Amostra Grátis 2ª edição

O centro da cidade ganhou um colorido especial para os olhos de quem trafega pela histórica Rua Barão de Maceió. Até o dia 30 de setembro, a 2ª edição da exposição Amostra Grátis leva o sentido de arte na rua ao literal, exibindo obras de 13 artistas reproduzidas em banners na fachada de vidro do Complexo Cultural do Teatro Deodoro.

 

O centro da cidade ganhou um colorido especial para os olhos de quem trafega pela histórica Rua Barão de Maceió. Até o dia 30 de setembro, a 2ª edição da exposição Amostra Grátis leva o sentido de arte na rua ao literal, exibindo obras de 13 artistas reproduzidas em banners na fachada de vidro do Complexo Cultural do Teatro Deodoro.

artistas

14012912_1196366087074187_241853339_o

A ideia partiu de Rosivaldo Reis, um dos curadores, que imaginou a estrutura arquitetônica do Complexo como ideal para uma exposição que pudesse ser vista tanto de dentro como de fora do prédio. Viviani Duarte juntou-se ao projeto e os dois passaram a trabalhar na escolha dos artistas convidados. “A proposta é interessante porque possibilita a democratização e a divulgação das obras e dos artistas”, comenta Viviani. Este ano, a mostra expõe criações de Lu Azul, Marcos Aurélio, Orlando Santos, Salles, Dalton Costa, Frédérique Groutars, Teresa Lima, Persivaldo Figueiroa, Myrna Maracajá, Myrian Almeida, Mônica Torres, Chico Viveiros e Denis Matos.

Esta 2ª edição segue os moldes da primeira, realizada em 2015, no qual duas obras dos 13 artistas escolhidos são fotografadas por Pablo de Luca e reproduzidas em painéis imensos. Além disso, os trabalhos também viraram cartões postais que os visitantes podem levar para casa como recordação e uma amostra grátis da arte visual produzida em Alagoas.

amostra_2a-edicao-web

“É um formato de exposição que deu certo. Mesmo as pessoas que não são acostumadas a visitar galerias podem entrar em contato com a arte, já que os trabalhos também podem ser visto da rua”, explica Rosivaldo Reis. “Muita gente tem uma timidez ou um receio de entrar em lugares como esse e nossa proposta é trazer as pessoas para junto da arte e dos artistas, despertar o olhar e a curiosidade para o visual”.

Denis Matos é o artista que há mais tempo está em atividade dentre os escolhidos da Amostra, dedicando 55 anos de sua vida à arte. Além da pintura e desenho, também trabalha com cenografia e design de interiores. “A minha meta de vida sempre foi retratar Alagoas”, diz ele. Os trabalhos expostos têm como tema o candomblé e são frutos de uma pesquisa de mais de três anos, revelando também seu lado místico e ligado à espiritualidade.

14215735_1212477342129728_1894862367_o

O pernambucano radicado em Alagoas roa escolheu um trabalho mais antigo e outro mais recente para expor. “É um São Jorge que já tinha feito há algum tempo, já o mais novo tem um colorido que eu achei interessante para o tipo de exposição, que é visto da rua e chama mais a atenção”, diz ele.

Myrna Maracajá fez uma releitura às xilogravuras de cordel, traço já característico da artista, o qual vem desenvolvendo há algum tempo. “A outra obra é uma Iemanjá surfando, um trabalho meio naïf”, comenta. “Acho bastante interessante o conceito da Amostra Grátis de levar a arte de encontro à população”. Myrna também está em cartaz com a exposição individual 3 em Uma, dividida entre “Filhas de Eva”, “Índios” e “Miniaturas”, todas no Mezanino do Complexo Cultural do Teatro Deodoro.

14114641_1203421719701957_1369402021_o

A holandesa Frédérique Groutars revela uma arte mais livre, solta e sem amarras. Mistura tintas, técnicas, gravuras e escritos. “Uso tinta acrílica, a óleo, colagem de fotos e gravuras e as telas são pensadas muitas vezes no momento”, diz ela. “Aqui em Maceió eu tenho muita inspiração, fico mais ligada comigo mesmo e o trabalho flui melhor e pinto quase todo dia”.

A pintora Myrian Almeida vem se dedicando há algum tempo a colagens, fotografias e tecidos em suas telas. “Fiz uma tela retratando Nossa Senhora Aparecida e outra Iemanjá. Gosto muito de trabalhar com imagens sagradas”, revela. “Acho que esse projeto contempla muito da relação da arte com o povo que eu acredito que deva existir. A arte tem que estar onde o povo está”.

O traço e as formas características e inconfundíveis de Chico Viveiros também estão presentes na Amostra Grátis. “Uma obra está representando a figura antiga do jornaleiro, que se via aqui na cidade”, diz ele. “E o outro é um vendedor de gaiolas com uma flauta na mão, que eu chamo de ‘Dois Amores’”. As figuras de Viveiros apresentam sempre olhos salientes e o formato dos pés também volumosos, inspirados nos personagens sertanejos.

14067826_274451279605366_1862222737734258590_o
Obra de Chico Viveiros. Foto: Acervo do artista

Teresa Lima apresenta obras inspiradas em sua fase indígena, retratando as cores, formas, objetos e instrumentos ligados a essa temática. “Uma delas é dedicada ao Sol, demonstrando a força e o respeito que esses povos têm à luz e ao seu poder”, afirma ela. “Amostra Grátis é uma exposição muito aberta, que tem um alcance de público imensurável e estou muito feliz em fazer parte”.

Marcos Aurélio é outro artista veterano que compõe a Amostra. Estudou com Pierre Chalita e pinta desde 1981. “Desde o começo busquei um traço meu, uma característica minha na pintura que fazia, e pra encontrar isso demorou algum tempo”, revela. Começou retratando as cenas que via na infância e enveredou para o lado abstracionista. “As obras que estão expostas são tipicamente gráficas, com traços e cores”, completa.

14100475_1205940479441474_1656714884252995443_n
Tela do artista Sales. Foto: Acervo do artista

Um dos grandes formadores de artistas visuais de Alagoas, Salles também está presente na exposição. Aos 10 anos começou a utilizar a arte para expressar sua criatividade e desde 1980 atua como professor em seu ateliê. “Aqui mesmo na exposição tem artistas que saíram da minha escola e pra mim é uma alegria muito grande ver que meu trabalho está rendendo frutos”, diz ele.

Da mesma geração de Salles, o pintor Orlando Santos se destaca por suas cores. Estudou também com Pierre Chalita e vem desenvolvendo um caminho em busca de seu traço “de pé descalço”, como ele próprio diz. “Hoje eu sou cubista e trabalho com o figurativo. Estudei e pesquisei muito até conseguir encontrar minha própria identidade dentro do cubismo”.


EXPOSIÇÃO “AMOSTRA GRÁTIS – 2ª EDIÇÃO” | LOCAL: Complexo Cultural do Teatro Deodoro | ENDEREÇO: Rua Barão de Maceió, 375, Centro. | HORÁRIO: de segunda à sexta, das 8 às 18h, e nas quartas-feiras das 8 às 20h. Até o dia 30 de setembro. | ENTRADA: Gratuita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: