Arte & Moda Dossiê Arte, Design & Moda

Faces de uma mesma moeda – Ana Maia e Rosa Piatti estreiam a 1ª edição do Dossiê Arte, Design & Moda

Eu sou um pouco de tudo isso: do lido, do percorrido, da assimilação, da minha vivência e curiosidade”, define Ana Maia.   

As irmãs Ana Maia e Rosa Piatti estreiam nossa 1ª edição do “Dossiê Aqui Acolá – Arte, Cultura & Design”. Não por acaso, a dupla conta com uma produção de objetos de arte e design que passa por luminárias, porcelana e mobiliário até vestuário, bolsas, joias, roupas de cama, telas, esculturas e painéis. Elas são arquitetas, designers e artistas plásticas, produzem uma arte conceitual e sofisticada, inspirada na cultura nordestina com linguagem universal.

Aqui Acolá - Ana Maia 01O jardim foi o mesmo, as viagens, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, as brincadeiras de infância e por fim os pais Zélia e Vinicius, o irmão Manoel e, claro, a inseparável prima, Mirna Porto. Não, elas não são gêmeas, alguns poucos anos as separam. E o mais interessante é que noves fora DNA, interesses e estética que se assemelham, Ana Maia e Rosa Piatti são muito, muito diferentes. Desavisados jamais fariam a conexão. Ana é expansiva, inquieta. Rosa é introspectiva, de poucas palavras. E as diferenças não param por aí, fisicamente também não se assemelham.

Mas, quando você entra no ateliê Maia Piatti simplesmente não tem como distinguir, à primeira vista, quem fez o quê. Porque absolutamente tudo conversa, existe unidade nas cores, nas referências e na essência do trabalho de ambas. Aí você pensa, “Ah, então elas planejam a coleção juntas!” #SQN! As duas trabalham em ateliês separados e fazem coisas distintas e nem sempre combinam ou falam sobre o que estão produzindo. Aí você novamente indaga: Não são gêmeas… Não planejam a maioria dos projetos… Como existe paridade?Aqui Acolá - Rosa Piatti

Explico! Desde muito cedo Ana e Rosa conviveram em um ambiente muito fértil em que arte e arquitetura eram assuntos cotidianos. A mãe, Zélia Maia Nobre (Primeira Arquiteta de Alagoas), foi grande incentivadora dos artistas alagoanos e fundou o curso de Arquitetura e Urbanismo da UFAL, e o pai Vinicius Maia Nobre, professor e engenheiro civil. Pranchetas, desenhos, projetos e a convivência com profissionais não somente da arquitetura, mas ligados de uma forma geral à arte, como Janete Costa, Lina Bo Bardi, Borsói, Burle Max, Regina Mendonça e tantos outros, contribuíram para que florescesse o interesse pela arte na vida das irmãs.“Minha mãe tinha uma irmã  que morava em Nova York, então com 10, 11 anos, éramos embarcados para lá nas férias. Mas, não sem uma lista de visitações que incluía galerias, espaços culturais e museus, lembra Ana Maia. 

Eu sou um pouco de tudo isso: do lido, do percorrido, da assimilação, da minha vivência e curiosidade”, define Ana Maia.                                                                 

 

Viver de Arte

Depois de formadas, as irmãs seguiram cada uma seu caminho até que em meados da década de 1990, resolveram fundar a empresa “Viver de Arte”. Luminárias, porcelanas, objetos em madeira, inclusive mobiliário com uma técnica de pintura exclusiva, foram disponibilizados para o mercado local e nacional.  Pouco a pouco as produções foram conquistando também o interesse de clientes e investidores de outros países, à medida que os objetos eram expostos em feiras internacionais.

 

 

As alagoanas viram sua arte correr o mundo e conquistar mais e mais espaços. Segundo Ana Maia, as produções da “Viver de Arte” foram exportadas para os Estados Unidos, Canadá, Arábia Saudita e em diversas cidades da Europa, como Londres, Itália e França. Além disso, conquistaram reconhecimento através de premiações por originalidade na AFMilão (Italia); Expo Art San Francisco (USA); Maison & Objet (França); The New York Home Textiles Show – Javits Center (New York); Qualidade Alagoana (Brasil);TOP 100 Sebrae \aciond (Brasília-brasil)Produtos de Alto Valor Agregado/ Ministério Indústria e Comércio (Brasília-Brasil) e Quality For Export – AblvAD-SP/ Brasil – Comenda Arnon de Mello (Alagoas-Brasil).

As possibilidades infinitas fizeram também com que elas passassem a investir no mercado da moda a partir de 2009. Vestidos, blusas, saias, acessórios, bolsas e sandálias obtiveram o mesmo sucesso dos objetos de design, mesmo sem intenção de seguir regras ou tendências de moda. A estética conceitual forjada na  identidade visual alagoana, inspirada da história, costumes, folclore e paisagem do Sertão ao Litoral, chamou a atenção de pessoas ligadas à moda, artistas plásticos e designers.

Aqui Acolá - Ana Maia e Rosa Piatti (34)

As peças sofisticadas Maia Piatti carregadas das cores e texturas de Alagoas já vestiram artistas e celebridades, a exemplo das brasileiras Marieta Severo, Totia Meireles, Fernanda Montenegro, Paula Lavine, Bruna Tenório, Marilia Gabriela, Fabiana Cozza, Maria Rita, Claudia Matarazzo, Irene Ravache; e dos hollywoodianos Uma Thurman e Brad Pitt.

A “Viver de Arte” chegou a contar com unidades em Maceió, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, além das exportações. “Nós tínhamos uma quantidade de funcionários muito grande, chegamos a operar com mais 80 funcionários e terceirizados entre 2001 e 2010. Vivíamos numa loucura de exportação, a administração tomava muito o nosso tempo, foi então que preferimos reduzir nossa presença no mercado para poder voltar a criar,” explicou Rosa Piatti.  “Entre 2011 e 2012 foi um período de ajustes e também para assimilar o que estava  acontecendo”. “Decidimos encolher e voltar a trabalhar mais com a alma, diz Ana Maia.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ateliê Maia Piatti

A pressão dos clientes, que ficaram órfãos da “Viver de Arte”, contribuiu para o retorno de um espaço físico das irmãs Maia &Piatti.  Mesmo não tendo parado de criar e produzir,  faltava um ambiente tanto para o ateliê de Ana Maia como para receber os clientes. Então em 8 de dezembro de 2016, elas inauguraram o “Ateliê Maia Piatti”, na Rua Capitão Samuel Lins, Nº 268, no bairro Farol, que funciona como ateliê de Ana e loja. “Atualmente, trabalhamos com uma equipe reduzida, que curte cada peça que produzimos”, ressalta Ana Maia. “Pouco a pouco os clientes vão voltando, muita gente vem visitar Maceió passa aqui e é tudo muito orgânico, do jeito que queríamos, sem muito tumultuo”.

Aqui Acolá- Ateliê maia piatti (5)

 

Aqui Acolá - Ana Maia e Rosa Piatti (61)

Aqui Acolá - Ana Maia e Rosa Piatti (71)

Aqui Acolá- Ateliê maia piatti (1)

Recentemente as irmãs Ana Maia e Rosa Piatti promoveram em parceria com a Prefeitura de Maceió e o Cesmac uma intervenção no Mirante de Santa Terezinha que fica de frente para o ateliê. A iniciativa ressignificou o espaço e está promovendo o retorno do convívio urbano entre os moradores e visitantes da região.

A ideia surgiu há dois anos quando decidi montar o atelier aqui no bairro, mas vi que a área estava abandonada. A partir daí tomei a decisão que não adianta ficar trancada dentro do escritório e não interagir com o bairro, principalmente aqui, onde temos um belíssimo visual. Abracei a causa, me informei, procurei quem poderia me guiar nessa jornada e fui atrás. Após algumas conversas com a Prefeitura, construímos o projeto de adoção da área que foi acolhido pela Semds e por nós realizado. Fico muito feliz em ver que um local que estava ‘morto’, agora, chama a atenção de todos que passam pela região e em ver também que os vizinhos estão contentes com a revitalização do mirante“, disse Ana Maia na ocasião da inauguração.

Aqui Acolá - Ana Maia e Rosa Piatti (55)

 

Aqui Acolá - Ana Maia e Rosa Piatti (50)

Pintado pela dupla, o chão do Mirante de Santa Terezinha ganhou as cores, traços característicos das produções Maia-Piatti. Recentemente, o espaço ganhou também uma imagem de ferro, de Rosa Piatti, colocada em um nicho de uma  árvore. Os vizinhos, amigos e clientes foram convidados para inauguração que contou com o  Coral Prisma cantando músicas clássicas.

 

Inspiração

Tanto os objetos de design como de vestuário das irmãs Maia & Piatti carregam leveza e muita sofisticação. A inspiração vem das riquezas geográficas e tradição cultural nordestina, aliada ao conceito de sustentabilidade e responsabilidade social.  As cartelas de cores lembram os mangues, rios, lagoas, coqueirais, o mar e o sertão. O processo de fabricação conta com diversas técnicas de pintura, colagem, escultura, recorte e tantas outras que vão sendo  introduzidas a  cada nova criação.

Aqui Acolá - Ana Maia e Rosa Piatti (53)

Minha inspiração é local que vai para um global, ela tem uma linguagem que vai do Sertão a Zona da Mata, com todas as cores que eu venho trabalhando”, define Ana Maia. “Eu também sou um pouco geométrica / geográfica, se você olhar para uma luminária vai vê ruas, casas, urbanismo, a mata, percursos e rios. Então, tudo isso são minhas observações que estão no meu repertório de viagens, no meu repertório da memória afetiva, até das minhas memórias alegres e tristes. Tudo reflete na minha obra”, completa.

Com Rosa Piatti não é diferente. Ela atribui à inspiração dos seus trabalhos as convivências, leituras, as viagens, memórias e um olhar mais apurado. Ressalta ainda a influência da mãe, que sempre incentivou os filhos; e as idas ao interior do Nordeste com seu pai, Vinicius, que trouxe também influências regionais.


Ateliê Maia Piatti – Rua Capitão Samuel Lins, Nº 268, no bairro Farol, Maceió – Alagoas. (Em frente ao Mirante Santa Terezinha)

5 comentários

    1. Olá, Cláudia! O Ateliê Maia Piatti fica na Rua Capitão Samuel Lins, Nº 268, no bairro Farol, Maceió- AL.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: