Artes

1ª Coletiva Edna Constant abre as portas da Casa da Arte em 2019

Reduto cultural e artístico do litoral norte maceioense, a Casa da Arte em Garça Torta iniciou suas atividades este ano com a 1ª Exposição Coletiva Edna Constant de Artes Visuais. Aberta ao público desde o dia 30 de abril, as paredes da casa abrigam trabalhos de mais de 20 artistas, entre telas, fotografias e um curta-metragem. O Aqui Acolá foi até lá conferir o charme da Casa e bater um papo com o curador da mostra Tito Mendes.

O dia do lançamento da coletiva foi escolhido em razão do aniversário da fundadora da casa, dona Edna Constant, que estaria completando 86 anos. Agora seguindo o legado de sua mãe, que dedicou 36 anos de vida à apreciação, ensino e divulgação da arte, seu filho Tito Mendes está à frente do espaço. São mais de 20 artistas expondo, incluindo peças do acervo da casa e trabalhos novos.

Fiz uma pesquisa da história da casa e aqui sempre se trabalhou no coletivo. Então nada melhor do que começarmos o ano com essa exposição e essa confraternização de artistas que convidamos”, revela Tito. “Senti uma imensa alegria de ver que a ideia também era correspondida por todos, que tinham o desejo de ver a casa de novo em atuação”.

Participam da coletiva Cleide Oliveira, Siloé Amorim, Francisco Oiticica, Lula Mendes, Celso Brandão, Pablo de Luca, Juarez Cavalcanti, Claudia Gordon, Tatiana Manchenko, Irene Duarte, Agélio Novais, Paulo Caldas, Luciano Aguiar, Lula Nogueira, Gustavo Lima, Alex Barbosa, Amanda Rodrigues, Persivaldo Figueiroa, Délson Uchôa, Tito Mendes, Tayra Macedo e Myrna Maracajá, além de Regina Barbosa que produziu o documentário em curta-metragem “A flor da Casa”, narrando a história da Casa da Arte pelas palavras de dona Edna Constant.

Lula Mendes participa da exposição com uma fotografia analógica e uma moldura de madeira feita para o evento. “Tenho uma consideração muito grande por aqui, já fiz várias exposições na casa”, diz ele. “Fui criado aqui nesse bairro e gostava muito de dona Edna. Para mim foi uma honra ter sido chamado”.

O fotógrafo Francisco Oiticica também tem uma relação com a comunidade da Garça Torta. “Para mim, foi uma emoção, depois do falecimento de D. Edna e de eu ter me mudado de lá. Fizemos muitas coisas juntos: exposições, viagens, capacitações, apresentações teatrais, tudo na linha proposta pela Casa da Arte, que é a da conjugação entre arte e educação”, afirma Francisco.

“Dona Edna tinha muita consciência social, e sabia da importância de seu espaço para a emancipação das crianças e a elevação da autoestima das famílias do litoral Norte. Escrever a orelha de seu livro de poemas foi a minha despedida. Agora, Tito Mendes, seu filho, ao organizar essa coletiva, retoma as atividades com toda a força, legítimo representante dos ideais de Edna Constant”.

A Casa foi inaugurada em 1985, logo quando dona Edna a adquiriu e percebeu que ela Aqui Acolá - Casa da Arte (1)teria muito mais utilidade como uma casa de arte. Construída há quase 90 anos, o local preserva a arquitetura e a estrutura que quase não se vê mais nas casas do litoral alagoano. Além de trazer a comunidade para dentro como expectadores, o propósito também sempre foi fazer com que as crianças e os moradores da região também se tornassem atores principais da arte que se fazia na casa. “Recebemos títulos de utilidade pública tanto municipal, quanto estadual e federal, além do reconhecimento como ponto de cultura”, diz Tito.  “A minha história nessa casa é uma história de troca, onde eu pude dar um pouco do meu conhecimento para muita gente e também receber dessa parte grande da população muita informação e isso me enriqueceu bastante”.

O pintor Lula Nogueira destacou a importância do local para a cultura da cidade.

Aqui Acolá - Casa da Arte (26)“A Casa da Arte veio preservar um estilo de vida rústico, litorâneo e ligado à natureza. Edna soube agregar arte e artistas a tudo isso. Desde o início dos anos 90 participei de muitas exposições inesquecíveis. Fiquei muito feliz em participar desta homenagem à grande mulher Edna Constant, minha amiga e incentivadora”, comenta.

Persivaldo Figueiroa também falou da alegria em ver a casa viva.

Aqui Acolá - Casa da Arte (27)

 

“Expor é sempre fundamental. A importância da Casa da Arte e a vida de dona Edna, seu amor à arte, ao bairro, aos artistas e principalmente às atividades desenvolvidas na Casa e o envolvimento das crianças locais me fez sentir privilegiado em participar dessa coletiva/homenagem. E muito feliz em saber que o Tito mantem vivo esse legado”.

 

 


1ª COLETIVA EDNA CONSTANT DE ARTES VISUAIS | Casa da Arte – Rua São Pedro, 185. Garça Torta, Maceió-AL. | Até o dia 30 de maio, das 8 às 17h. Entrada gratuita.


*Texto: Nicollas Serafim | Revisão: Iranei Barreto | Imagens: Acervo da Casa da Arte 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: