Música

Anderson Fidellis e Cabroeira nos “Xama na Xinxa” para comemorar 69 anos de Baião

“Xama na Xinxa” é o nome do show que Anderson Fidellis apresentam nesta sexta-feira (22), em homenagem aos 69 anos de Baião, comemorado também neste dia. O evento acontece às 21 horas, no Fidel Cozinha Boêmia.

11227772_1447251455588402_1826714105744603747_n

Xama na Xinxa” é o nome do show que Anderson Fidellis  apresentam nesta sexta-feira (22), em homenagem aos 69 anos de Baião, comemorado também neste dia.  O evento acontece às 21 horas, no Fidel Cozinha Boêmia.

Acompanhado dos músicos batizados de Cabroeira: Anderson Vasconcelos, Diogo Silvestre, Yzi Fidelis, Lailson Lima, Anderson Fidellis promete não deixar ninguém parado com repertório pra lá de animado. Os emblemáticos baiões de Gonzagão e canções autorais do primeiro CD do forrozeiro, com destaque para “Baião de São Gonçalo”, vão botar fogo no salão.

SONY DSC

 Forrozeiro, sim senhô!

Fidellis está para o Baião assim como o Forró está para o Nordeste. O jovem sanfoneiro desde cedo descobriu o gosto pela leitura e para as coisas da nossa cultura popular.  Iniciou como cordelista, vendendo folhetos na escola onde estudava. Com sua poesia matuta conquistou primeira colocação em um concurso literário em homenagem ao centenário do médico, sociólogo e folclorista Arthur Ramos, promovido pelo Conselho Regional de Medicina de Alagoas.

Mas foi através da música do Velho Lua que o maceioense descobriu sua verdadeira vocação.

“Não tem como fugir e negar; minha influência principal, que é a coluna vertebral pro meu trabalho, é Luiz”, diz Anderson.

 luiz-gonzaga

A paixão de Anderson Fidellis pelo baião tem até trilha sonora – Pau-de-Arara. E foi ouvindo essa composição de Luiz Gonzaga em parceria com Guio de Morais, que tudo começou. O resto da história ainda está sendo contada e quem acompanha o trabalho deste jovem artista sabe que em fonte melhor ele não poderia beber.

O que me fez interessar pelo baião foi a simplicidade; simplicidade no fazer (que também não é tão simples assim, mas é muito popular), simplicidade no falar, explica Fidellis.

 Baião

Originário da fusão da dança africana com as danças dos índios e dos portugueses, o Baião é um misto de dança, poesia e música. Dança rasgada, lasciva, movimentada, ao som de canto próprio, com letras e acompanhamento à viola e pandeiro.

O primeiro registro da palavra baião na discografia brasileira foi feito na década de 1920, pelo alagoano Jararaca (José Luiz Rodrigues Calazans), quando gravou o “Samba nortista”, de Luperce Miranda.  Mas, foi em 22 de maio 1946 que o ritmo se popularizou quando Luiz Gonzaga lançou junto com Humberto Teixeira o disco “Baião”. Daí se convencionar o dia 22 de maio como o Dia do Baião.

 publico_danca_forro_no_polo_estacao_ferroviaria_rafael_lima_pmc


XAMA NA XINXA- 69 ANOS DE BAIÃO – LOCAL: Fidel Cozinha Boêmia | ENDEREÇO: Rua Sargento Jayme Pantaleão, 291 – Prado | INFORMAÇÕES: (82) 968-63710| SITE: www.afidellis.com

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: