Artes

Palestra com Lula Nogueira no “Munguzá Cultural”

O artista plástico Lula Nogueira será o palestrante do “Munguzá Cultural”, que acontece na próxima quarta-feira, 29, às 19horas, no auditório do Museu Théo Brandão. Com o tema “Por uma etnografia pictórica: artes plásticas e cultura popular em Alagoas”, o bate-papo terá a participação do crítico de arte e escritor Ricardo Maia.

O artista plástico Lula Nogueira será o palestrante do “Munguzá Cultural”, que acontece na próxima quarta-feira, 29, às 19horas, no auditório do Museu Théo Brandão. Com o tema “Por uma etnografia pictórica: artes plásticas e cultura popular em Alagoas”, o bate-papo terá a participação do crítico de arte e escritor Ricardo Maia.

Considerado um dos artistas de destaque da cena alagoana, Lula Nogueira utiliza como combustível criativo cenas do cotidiano, aspectos culturais e históricos do nosso Estado. Suas obras retratam uma Alagoas de cores fortes e intensas, estando a memória, o romance e a poesia entre suas preferências. Também povoam o seu imaginário as flores, os santos, as festas, folguedos populares, praças, rendas, sereias e nossas lagoas.

DSC_0357-ok

Estética 

Há 35 anos, Lula Nogueira participou da primeira exposição coletiva. Foi só o começo de sua trajetória. O trabalho do artista já foi visto nos principais espaços de exposição da capital alagoana. Em 1993, a obra de Lula Nogueira integrou uma mostra coletiva na Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro.

Desde que participou com a exposição intitulada “Um Naïf das Alagoas”, em 2001, no Museu Internacional de Arte Naïf do Brasil, no Rio de Janeiro, curadores e críticos classificam Lula Nogueira como representante da estética Naïf. No entanto, a rotulação inspira discussões entre os estudiosos da obra do alagoano. Para o escritor alagoano Lêdo Ivo, a arte de Lula Nogueira é Naïf, mas também Pop. Já Viviane Duarte acredita que ele é Naïf contemporâneo. Para o crítico de arte Ruy Sampaio, considerar o pintor alagoano um representante da arte Naïf é um verdadeiro equívoco.

Num ponto todos concordam: Lula Nogueira, ao retratar o cotidiano da vida urbana e rural de Alagoas, o faz de uma maneira muito simples e intensa, mas sem o folclorismo.

11146285_10153343813334750_8411480354663715414_n

Em 2004, seu trabalho esteve na “Bienal Naïfs do Brasil”, em Piracicaba (SP). Dois anos depois, participou da exposição “Brasil bom de bola”, no Museu Internacional de Arte Naïf (MIAN), no Rio de Janeiro.

Encontro

Na década de 1980, Lula Nogueira e Ricardo Maia fizeram parte do grupo Vivarte, movimento artístico, ocorrido em Maceió, que defendia o Vivartismo, cuja ideologia estética é voltada para o campo das artes plásticas em Alagoas.

10309200_807284472623890_3436302211546010352_n

 Munguzá Cultural

O “Munguzá Cultural” acontece na última quarta-feira do mês, sob a coordenação do professor Bruno Cesar Cavalcanti, do Instituto de Ciências Sociais (ICS), da Ufal. Com temas relacionados à cultura popular e à Antropologia, o projeto faz parte do programa “Museu em Movimento”. Ao final da palestra, é servido um autêntico munguzá nordestino. O evento é aberto ao público.

10372531_806452806040390_6919737764160098528_n


Serviço:

Munguzá Cultural | Palestra: Por uma etnografia pictórica: artes plásticas e cultura popular em Alagoas | Ministrante: Lula Nogueira | Convidado especial: Ricardo Maia | Data: 29 de Abril | Horário: 19 horas | Local: Museu Théo Brandão | Contato: 3214-1716| Entrada Franca| Fanpage de Lula Nogueira: Lula Nogueira & Gustavo Lima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: